Desde o meu primeiro dia aqui no Canadá eu estava querendo falar desse assunto, porém, fui adiando e adiando até fazer todas as pesquisas possíveis para ter o que falar. Tarefa difícil. Ainda mais quando não se tem nem um mês morando por aqui. Mas acho que já experimentei muita coisa diferente pra poder falar sobre. E acredito que seja impossível poder experimentar tudo que Vancouver tem a oferecer em termos de comida  devido à grande variedade.

Uma coisa não se pode negar: come-se bem por aqui. E muito bem. E acredite, não se paga caro por isso. Ok, comprar comida no supermercado não é barato, como disse anteriormente, ainda mais pra brasileiro que adora carne e frutas tropicais. Tudo isso aqui é caro demais, porque eles precisam importar tudo. O segredo é basear a alimentação em verduras, legumes, massa e trocar a carne de vaca pela de porco e frango. Continua cara, mas sai mais em conta. Vegetarianos se dão bem aqui. Alô Luana!

Comer fora não é tão caro. Aqui se tem acesso à comida do mundo inteiro e não se paga mais caro por isso como acontece no Brasil se você vai num restaurante Indiano ou Tailandês, por exemplo. Como no Brasil esses restaurantes são poucos, acabam se sofisticando e cobrando mais caro. Aqui não, o Canadá é um país que recebe de braços abertos gente do mundo inteiro pra morar e não só como turistas, portanto, é preciso ter um lugar onde esse povo se sinta em casa. Paguei por um jantar num restaurante indiano no Rio mais caro do que paguei aqui na semana passada, isso incluindo as cervejas (indianas, lógico!).

Acordou com vontade de comer comida grega? Tem um restaurante grego a cada esquina. Quer conhecer a comida no Vietnam? Existem dezenas de redes de fast-food vietnamita. Tailandês? Malaio? Português? Indiano? Japonês? Francês? Mexicano? Alemão? Mongol? Ucraniano? Peruano? Italiano? Chinês então? Putz, restaurante chinês aqui é igual pé de amêndoa no Brasil, tem em todo lugar. Ah tá, tem restaurante Brasileiro também, o Samba. Ainda não fui lá, mas o David e os amigos deles foram e adoram. É uma churrascaria, óbvio! Enfim, Tem opções para todos os gostos e bolsos. Os que gostam de aventuras gastronômicas então vão se deliciar. Outro dia comi carne de búfalo. Ok, é igual a costela de boi. Nada de diferente.

Minha grande paixão aqui são as pizzas. Ok, ainda continuo achando a pizza paulista a melhor do mundo que conheço, mas as daqui tem um tempero especial e acredito eu, um fator engordativo extra. Sempre que minha mãe me vê no Skype ela diz que eu to mais gordo. Mas to começando a ficar assustado com a minha barriga. Mas voltando às pizzas, todas aqui parecem com as pizzas do Dominos ou Pizza Hut. Super temperadas e gordurosas. Eu geralmente compro um pedaço em qualquer lugar e saio pela rua andando. Aqui ninguém te olha de cara feia se você tá andando na rua, no ônibus ou no metrô comendo um pedaço gigante de pizza. A minha pizza preferida é a Pizza Pizza, eu sempre passo lá depois que saio do mercado, ou seja, pelo menos 3 vezes por semana. A pior eu não sei, mas elas existem. Outro dia tava com muita fome e em cima da hora de ir pro inglês, tem uma pizzaria aqui perto que vive vazia, ou seja, não é boa. Tava com fome e pressa, fui lá. Haviam dois pedaços de pizza vegetariana na bandeja e eu pedi um. O problema é que os pedaços não se desgrudavam um do outro, a garota perdeu quase um minuto tentando e então desistiu. Me deu os dois pedaços pelo preço de um. Muito ruim. Eu não consegui comer um pedaço inteiro. Joguei o resto no lixo e fui estudar.

Acho que esse vai ser um post longo.

Coisa sem graça aqui tem aos montes, mas o que ganha em disparado é o cachorro-quente. Só um pão com salsicha e só. Sem cebola, tomate, pimentão, milho, ervilha, queijo ralado, passas, purê de batata, ovo de codorna, bacon…sem nada! Só pão com salsicha e daí você pode botar ketchup, mostarda e relish, que é um treco verde esquisito que parece cocô de passarinho doente. Como aquilo não. Por incrível que pareça, o cachorro-quente mais parecido com o brasileiro que comi aqui foi o Japa-dog. É cachorro quente com ingrediente de comida japonesa. DELICIOSO. Quando experimentei fiquei meio desapontado porque achei que fosse achar sushi e sashimi dentro de um pão. Não é isso. Tem umas salsichas estranhas e uns molhos japoneses e algas. Não tem peixe. Acho que tem uma versão com arroz em algum lugar. Mas é gostoso, tanto que eles abriram um restaurante e é o único no centro de Vancouver que faz fila. Incrível.

O milho aqui também não me apeteceu. É doce demais. O povo aqui come milho como se fosse sobremesa depois do almoço. Muito doce, vou esperar voltar no Brasil pra comer um bom milho. Talvez se eu botar bastante sal e manteiga no daqui eu consiga comer.

Aos que gostam de fast-food, isso aqui é o paraíso: McDonalds, Wendys, Burgher King, Tim Hortons, Subway, A&W…Eu sinto falta do Bobs, mas acho o Tim Hortons legal. Até porque não é tanta grosseria quanto McDonalds. Passei mal no dia que comi no A&W, então, não volto mais lá.

Aqui em New West, do outro lado da rua, toda quinta-feira rola o Farmers Market. É uma ferinha de produtores locais que vendem tudo fresco. A palavra da moda é: ORGÂNICO. Pão orgânico, verduras orgânicas, porco orgânico, búfalo orgânico….ou seja, qualquer um que tem um chiqueirinho e uma horta em casa, leva praquela feirinha e diz que cuida dos porcos ou da plantação sem usar agrotóxicos. E vende bem mais caro por isso. Mas até que rola um clima legal. Tem um carinha que fica no meio tocando flauta, as vezes tem um cara vestido de palhaço (que eu chamaria de Drag Queen) pra animar as crianças…foi lá que pela primeira vez vi cerejas que não fossem em conserva.

Sobremesa: Cupcakes, tortas (lembra das tortas dos desenhos animados? Sim, elas existem), bolos, doces dos mais variados tipos. Mas eu amo os Cupcakes.

Café é um problema. Demorou pra eu achar o café perfeito. Fica no Leiria Restaurant, na Commercial Drive. É um boteco português só feqüentados por velhos decrépitos mas que tem um expresso maravilhoso. Os mais parecidos com o que temos no Brasil. De resto, é aquela porcaria daquela água suja que a Starbucks e similares vende dizendo que é café. Até o expresso deles é horrível. Da Starbucks eu só gosto das caríssimas fatias de bolo de banana e bolo de limão.

O post não é sobre bebida mas elas sempre acompanham as comidas né? Eu gosto muito de cerveja e aqui tem todas elas. Até Brahma é possível achar em algumas liquor stores. Cachaça também. A minha cerveja preferida (e uma das mais baratas também) é a Molson Canadian, mas sempre que quero gastar um pouquinho mais e beber com estilo eu compro umas garrafinhas da belga Stella Artois. Em casa eu geralmente compro latas e as vezes long neck quando estão mais baratas. Mas nos bares, é sempre “On tap”. É o nosso chopp num copo três vezes maior. E vc pode achar chopp de todas as cervejas. Nos bares geralmente eu pergunto qual o “On tap” que tá em promoção e pego aquele. O mais barato que paguei foi 4.25 dólares por um. Caro né? Nem é, geralmente custa mais de 5 dólares.

Finalmente finalizando, eu tenho cozinhado em casa. Outro dia comprei feijão preto, fiz uma farofa de ovo com farinha que trouxe do Brasil, comprei carne de boi que tava na promoção no mercado, cozinhei arroz e tchanan!!!! Fiz o típico prato brasileiro. No dia seguinte o David amanheceu doente. Mas acho que não teve nada a ver com a comida não porquê foi uma espécie de sinusite. Mas sei lá, vai saber…To pra marcar um churrasco aqui em casa e chamar um povo que já conheci, alguns brasileiros e uns estrangeiros, um povo do curso de inglês. Não todo mundo. E aqui a regra é assim: “Eu ofereço minha casa para um ‘barbecue’ e você traz a bebida e a comida”. Simples, não tem cerimônia, ninguém fica de cara feia. Você já tá fazendo muito em oferecer a casa, os convidados tem mais é que trazer comida e bebida. Adorei. O verão vai ser recheado de “barbecues”.  :)

O post foi tão longo que não vou mudar de assunto, embora ainda tenha trocentas coisas pra falar. Agora tá faltando tempo.

About these ads